Instituto Florence adota novas medidas de biossegurança na volta às aulas

Instituto Florence adota novas medidas de biossegurança na volta às aulas

Faculdade preparou novo protocolo de biossegurança para garantir a saúde de sua comunidade
Graduação | 24/07/2020
Compartilhe :

Antes do retorno de algumas turmas às aulas presenciais no Instituto Florence – no dia 3 de agosto para os alunos com práticas pendentes do semestre anterior e em 10 de agosto para os que cursam cadeiras práticas neste semestre – a faculdade preparou um novo protocolo de biossegurança a fim de garantir a saúde de sua comunidade acadêmica e evitar a disseminação da covid-19 no campus.

As medidas, baseadas em recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e em diretrizes dos governos federal, estadual e municipal, já estão sendo praticadas nas instalações do Florence, antes do retorno dos alunos, pelos funcionários que precisam frequentar o local.

Segundo o professor Thales de Andrade, diretor Acadêmico adjunto, a equipe de colaboradores da instituição já foi toda treinada. “É preciso que todos estejam preparados para essa volta, afinal tudo que estamos vivenciando agora, bem como o protocolo de biossegurança, é muito novo, mas precisamos nos adaptar e fazer isso virar rotina”, pontuou.

Para diminuir o risco de contágio na volta às aulas, fazem parte do novo protocolo de biossegurança as seguintes providências:

  1. Nova sinalização, espalhada por toda a faculdade, com cartazes, banners, adesivos e móbiles, indicando as orientações do protocolo de biossegurança;
  2. Marcação de assentos para controlar o distanciamento mínimo necessário entre as pessoas sentadas;
  3. Demarcação do piso, sinalizado com adesivos que indicam a distância de segurança adequada entre as pessoas;
  4. Bebedouros em que é necessário colocar a boca foram desativados. Estão funcionando somente as torneiras, para encher as garrafas individuais;
  5. Em relação às aulas práticas dos cursos, os conteúdos mais específicos que precisam ser trabalhados presencialmente nos laboratórios serão realizados a partir da formação de grupos reduzidos, respeitando o distanciamento necessário;
  6. No ato da entrada no campus, a temperatura das pessoas será aferida. Caso alguém apresente febre, será encaminhado para o setor de triagem. Lá, a pessoa será atendida por uma enfermeira, responderá a um questionário e será orientada a procurar um posto de saúde, caso necessário;
  7. As máscaras de proteção serão obrigatórias enquanto permanecerem no espaço acadêmico;
  8. Os presentes serão informados por meio de sinalização física que nos corredores da instituição há pias com sabonete líquido e álcool em gel, disponíveis para higienização das mãos;
  9. Nos espaços de atendimento ao público foram instalados divisores de acrílico para assegurar o distanciamento entre alunos e funcionários. Os atendimentos presenciais serão realizados por meio de agendamentos e somente uma pessoa por vez, sem acompanhante. Caso o acompanhante seja fiador do aluno, este deverá aguardar na recepção até a hora da assinatura do contrato na secretaria;
  10. Realização de diversas palestras e reuniões on-line com a comunidade acadêmica para divulgação do protocolo.

Treinamento para os Alunos

Em consonância com as novas regras, alunos dos últimos períodos do curso de Odontologia, que possuem cadeiras práticas na grade curricular realizaram, no mês de julho, treinamento para entender como será o funcionamento das aulas nesta nova fase.

Os primeiros a realizarem o treinamento foram os 60 alunos do 10º período de Odontologia, no dia 10 de julho, pela manhã e à tarde. Para a prática, eles foram divididos em três pequenas turmas de apenas 20 estudantes, a fim de respeitar o distanciamento necessário.

Segundo a professora Francilena Dias, durante o evento, eles receberam instruções muito importantes sobre o novo protocolo de biossegurança, com o objetivo de combater o coronavírus. “Falamos sobre cuidados com os pacientes, recomendações dentro da Clínica-Escola, como fazer a paramentação e desparamentação dos equipamentos de proteção individual (EPIs), como fazer a lavagem dos instrumentais e como diminuir e amenizar a forma de contágio”, esclareceu.

Para o estudante Wesley Pinheiro, o treinamento fez toda a diferença para entender as mudanças. “Recebemos explicação sobre todas as alterações realizadas na estrutura interna, sobre a nova paramentação que precisamos utilizar a partir de agora, como o face shield, que protege todo o rosto, entre outras informações. Percebemos que os espaços estão bem alinhados com as questões de biossegurança e estamos protegidos”, avaliou.

Mais uma vez, o Instituto Florence reforça seus valores institucionais, com base em princípios ético-humanísticos, demonstrando sua preocupação e cuidado com a comunidade acadêmica, adotando todas as medidas necessárias para prevenção e diminuição dos riscos para todos. A participação e colaboração de cada um para a manutenção de um ambiente seguro é indispensável.

Notícias Relacionadas

SIGA A FLORENCE NO INSTARAM